terça-feira, 31 de março de 2009

PALAVRAS, PALAVRAS...

.
.
SEDUÇÃO DAS PALAVRAS

Oh! palavras, palavras
seduzem - me
eu as quero nuas
desfilando de frente
passando de costas
rolando em minha cama
verbetes chamando

Oh! palavras, palavras
entrem pelos olhos
adoráveis ninfas
escorram em mim maduras
apartarão de mim anciãs
pela boca e mãos

Oh! palavras, palavras
de todo calão
adúlteras catarinas
paquequer, guaicurus, guarani
escada de meretrizes.
subi e amei

Oh! palavras, palavras
proibidas, reprimidas
horizonte cinzento
vigiadas, punidas
silêncio imposto
corri e gritei

liberdade imposta
numa janela aberta
niguém desperta
o vazio voa
desconsolo à mostra
Ó palavras, palavras
viví e calei


HORIZONTE DAS PALAVRAS

Toda palavra, além da fachada
contexto significante
literalidade e sinonímia
é mais que apenas efígie

Por trás da porta que a atravessa
da chave que a destranca
há palácios, há ruínas
selvas e montanhas

Contam os antigos
lendas sobre o horizonte das palavras
depois do encontro do céu e terra
além dali, no improvável

Há palavras e expressões nunca exploradas
enterram tesouros, obras inteiras
perdidas no deserto árido do inédito
intactas sob gelo da imaginação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário